Procurar

Conheça o vasto Património Histórico existente no concelho de Ribeira de Pena

Anta de Alvadia / Pedra de Anta

IPA.00026484

Alvadia, Ribeira de Pena

Câmara de planta poligonal, formada por vários esteios dispostos na vertical, coberta por tampa, apresentando vestígios de corredor, e pinturas rupestres.

Localiza-se a cerca de 500 metros da povoação de Alvadia, em plena zona de planalto da Serra do Alvão.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/

Capela de Rio Mau / Capela de Santa Bárbara

IPA.00013871

Rio Mau, Ribeira de Pena

 

Arquitetura religiosa, vernácula. Capela setecentista de planta longitudinal simples, e espaço interior indiferenciado coberto por teto de madeira. Fachada principal integrada numa tipologia bastante comum na região, terminada em empena de cornija truncada por sineira, com portal de verga reta ladeado por dois óculos. Fachadas laterais rematadas em cornija com frestas retangulares, em capialço, a iluminar a zona do altar-mor e porta de verga reta na lateral esquerda. Interior com pias de água benta gomadas ladeando os portais e nicho em arco de volta perfeita, moldurado, rasgado na parede testeira.

Localiza-se numa encosta sobranceira ao ribeiro Mosqueiro, afluente do rio Poio, isolada, em posição sobrelevada, no centro da povoação, rodeada de casas e quintais. Possui pequeno adro cimentado.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/

Castro da Cerva / Monte do Castelo

IPA.00004164

Cerva, Ribeira de Pena

 

Os vestígios arqueológicos concentram-se, predominantemente, nas vertentes N. e O. do monte, sendo visíveis várias plataformas do povoado, com alguns panos de muralhas e estruturas habitacionais. À superfície recolhem-se fragmentos de cerâmica, tégula e mós circulares de granito.

O Monte do Castelo é um pequeno monte que atinge a cota máxima de 492 m. destacando-se na paisagem por constituir um esporão que prolonga o maciço montanhoso entre o rio Poio e a ribeira de Mizarela. No sopé do monte, do lado O., localiza-se a central hidroelétrica do Coucadoiro.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/

Castro de Cabriz

Cerva, Ribeira de Pena

Imóvel de Interesse Público

Na freguesia de Cerva, situado num outeiro próximo do rio Poio, onde termina a descida do Alvão e inicia uma serena passagem pelo vale de Cerva, este povoado terá sido ocupado desde a Idade do Cobre, há cerca de 5000 anos.

São ainda visíveis vestígios de duas das muralhas superiores e algumas estruturas no patamar superior. Oferece uma vista deslumbrante sobre as quedas de água do Poio, sobre o fértil vale de Cerva, prenúncio da região minhota, e sobre a aldeia de Cabriz cujo rico núcleo habitacional é composto por edifícios construídos, em grande parte, no século XVIII.

Acesso: Pela aldeia de Cabriz em direcção à Central Hidroeléctrica e dali ao Couçadoiro.

Fonte: http://www.ecomuseu-rpena.pt/

Gravuras rupestres de Lamelas / Estação de arte rupestre de Lamelas

IPA.00005822

Lamelas, Ribeira de Pena,

Constituída por um afloramento granítico de grandes dimensões cuja parte superior, de configuração aplanada, se encontra coberta de insculturas rupestres constituídas por figuras geométricas simples e compostas (círculos concêntricos, linhas, reticulados picotados). Existe igualmente uma grande fossa de forma oval, escavada na extremidade nascente do bloco insculturado, para além de fossas de pequenas dimensões abertas no granito em outros afloramentos existentes nas proximidades.

Pequena elevação na vertente Noroeste do Alto do Facho, sobranceiro à vila de Ribeira de Pena.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/

Necrópole da Póvoa

Póvoa, Ribeira de Pena

 

A Necrópole da Póvoa localiza-se a Norte da aldeia de Póvoa, freguesia de Ribeira de Pena. É um conjunto de sepulturas escavadas na rocha granítica que terá constituído parte de um antigo cemitério.

Num total de quatro exemplares visíveis, dois possuem ainda forma antropomórfica, ou humana, encontrando-se os restantes apenas parcialmente visíveis. Localiza-se junto a um caminho com marcas de rodados de carroças que foi parte da antiga estrada real de ligação entre o Minho a Trás-os-Montes pela Ponte de Cavês, rumo a Gouvães da Serra e ao Castelo de Aguiar. Este caminho foi a principal ligação da região, pelo menos desde a Idade Média até ao final do século XIX, altura em que se constrói a atual E.N 206.

Acesso: No centro da aldeia da Póvoa, junto ao núcleo de casas mais antigo, por caminho em calçada portuguesa. As sepulturas encontram-se nos afloramentos graníticos quando o caminho deixa o povoado.

Fonte: http://www.ecomuseu-rpena.pt/

Pelourinho de Cerva

Cerva, na Rua Padre André.

 

Imóvel de Interesse Público

Trata-se de um pelourinho de estrutura simples, em granito, com uma tipologia que o integra nos pelourinhos de pinha.

Apresenta uma base em forma de cubo onde assenta a coluna plana octogonal com bocel. Assente diretamente na coluna encontra-se o ábaco, quadrangular, liso, saliente, que após um estrangulamento dá lugar ao remate em forma de pirâmide de base quadrangular. Toda esta estrutura assenta num soco quadrado de um degrau. Na base possui ainda a inscrição “1617 ANOS”, indicando a sua provável construção ou reconstrução, já que remete para mais de cem anos após a atribuição do foral, em 1514, por D. Manuel I.

É o único pelourinho que se preserva no concelho uma vez que o de Ribeira de Pena foi  estruído, sendo hoje assinalado por uma réplica.

 

Fonte: http://www.ecomuseu-rpena.pt/

Ponte de Arame em Santo Aleixo de Além-Tâmega

IPA.00011951

Santo Aleixo de Além-Tâmega, Ribeira de Pena

 

Arquitetura de comunicações e transportes, do séc. 20. Ponte pênsil de arame, sustentada pelos perfis e cabos de amarração que são escorados por maciços de betão criados nas margens. Possui tabuleiro, com travessas de madeira. Constitui uma das três pontes pênseis de arame existentes sobre o rio Tâmega, estando identificadas em Portugal seis pontes de arame, todas situadas no norte do País. Atualmente, para além dos primitivos arames possui cabos de aço que lhes dão maior resistência.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/

Ponte Romana sobre o Rio Poio ou Alvite

IPA.00005837

Alvite, Ribeira de Pena

Ponte de provável construção medieval, de arco, com tabuleiro horizontal com duas rampas sobre dois arcos de volta redonda. No acesso, do lado de Cerva, o caminho, imediatamente antes da rampa da ponte, passa um pontão sobre uma linha de água que desagua no rio Poio ou Alvadia junto daquela. Os arcos são ligeiramente abatidos.

A Ponte que de perfil horizontal tem duas rampas sobre dois arcos de volta redonda ligeiramente abatidos. Aduelas estreitas e compridas de extradorso irregular. Observam-se sobre os arcos as cavidades de apoio dos simples dos cimbres. O pilar entre os dois arcos tem contrafortes, os talhamares de contorno triangular e os talhantes quadrangulares. Guardas de cantaria de granito e pavimento empedrado com pedra miúda.

Fonte: http://www.monumentos.gov.pt/